Sobre acessibilidade

Serviços

25/07/2017 - 14:45

Técnicos da Cohab realizaram na manhã desta segunda-feira (24) o levantamento das famílias que ficaram desabrigadas ou que tiveram perda parcial de suas casas após o incêndio ocorrido sábado(22), na Passagem São Cristovão, ao lado da Igreja de Santa Maria Goreti, no bairro do Guamá.

As famílias reuniram inicialmente na arena da igreja com representantes dos órgãos de assistência da prefeitura de Belém, como Funpapa e Defesa Civil, além do Governo do Estado, como a Cohab, para fins de emissão do Cheque Moradia, necessário para reconstrução das casas destruídas no sinistro. Eles receberam as primeiras orientações de como vai se dar o processo para acesso aos benefícios como auxílio moradia, emissão de documentos básicos e viabilização do Cheque Moradia.

Um técnico da equipe de engenharia da Cohab fez as medições do terreno, no local do incêndio, enquanto que uma técnica da equipe social orientava quanto aos procedimentos para dar entrada na solicitação do benefício habitacional. "O primeiro passo é fazer esse levantamento de quantas casas foram incendiadas, quantas foram perda total e parcial, e orientar as famílias a reunir os documentos necessários para protocolar os processos para o Cheque Moradia", explicou Cynthia Sabino, da equipe social do Cheque Moradia.

Num levantamento preliminar a equipe da Cohab contabilizou dezoito casas prejudicadas com o incêndio, sendo onze com perda total e sete parcialmente incendiadas, totalizando cerca de 50 pessoas desabrigadas. Duas famílias estão alojadas em um prédio da Igreja de Santa Maria Goreti, e as demais em casas de parentes e amigos.

Sidine Corrêa Viegas, 32 anos, disse que não tem como calcular sua perda, pois a casa onde morava era também seu local de trabalho. "Investi tudo no meu estúdio de gravação e era disso que eu sobrevivia, além de tocar na noite, mas até meus instrumentos foram destruídos no incêndio. Não tenho ideia do valor investido aqui, perdi tudo", declarou. No momento da tragédia ele e a mãe estavam no interior do Estado e quando souberam da notícia, não havia mais nada a ser feito. No local , só de sua família dele, são mais de dez pessoas que se encontram na mesma situação.

Segundo Ivo das Neves, outra vítima e que quase não conseguiu sair de sua residência na hora do incêndio, o fogo teria iniciado por volta de dez e meia da manhã de sábado(22). Ele informou que os bombeiros chegaram rapidamente, mas como ventava muito, as chamas se espalharam rapidamente, destruindo tudo.

Lucila Teixeira, que possuía um comércio juntamente com o marido e que sobrevivia dessa venda há cerca de um ano, disse que só conseguiu salvar alguns eletrodomésticos como fogão, geladeira e uma TV, além de alguns documentos.

Benguí - A equipe da Cohab também visitou o local de uma residência destruída por incêndio. A mesma pertencia a Delzimeire Filgueiras, localizada na Rua do Japonês, próximo a comunidade Emaús, no bairro do Benguí.
A equipe conversou com um irmão da proprietária e com a filha dela, já que a mesma se deslocou no final de semana para o interior do Estado. Ninguém estava na casa quando o incêndio ocorreu. 
Ao saber do ocorrido, a mesma teve uma crise de pressão alta e a família aguarda a sua melhora para então retornar à Belém. O irmão dela se comprometeu em levá-la até a Cohab para dar entrada no Programa Cheque Moradia. Ele informou que o ocorrido se deu na madrugada desta segunda-feira (24) e que hoje pela manhã já havia registrado uma ocorrência policial. 

Texto: Rosa Borges

Fotos: Sidney Oliveira (Ag. Pará)